10.3.09

Reivindicados pelos Deuses

Postado por Alexandra Oliveira |

"A pessoa é para o que nasce."

Quando somos "reclamados" (que Percy Jackson talvez chamaria de "determinados", rsrsrs) por um/a/s dos Deuses, as coisas começam a se complicar (ou, ao estilo Peter Parker, "grandes poderes trazem grandes responsabilidades"). Nós mesmos custamos um pouco a aceitar ter que incluir na nossa vida uma medida em termos de fazer algo por um bem maior e aguentar as implicações que vêm com esse caminho.

Não é apenas mais uma questão de fazer suas práticas devocionais e achar que está tudo beleza e pronto. Sua vida não é mais só sua. Você volta e meia vai se encontrando em situações de precisar 'prestar serviço' que já nem tem mais o "luxo" de parar para pensar se você acredita mesmo naquilo ou não, se você vai celebrar um festival ou não. Nós temos autonomia sim, mas é que aquilo já começa a fazer parte de você, quando você não entra na coisa você sente que falta algo. (Já aconteceu de você ter a impressão de que o mês - helênico - não mudou, porque você não fez um ritual na Noumenia?) Você nem pediu para ser assim, de ter que ficar se recriando toda hora, mas, se você não fosse assim, o mundo seria pior. Imagina se todo mundo resolvesse sentar no mesmo assento do ônibus em vez de assumir outro (numerado e destinado para ele/a)...

Sei que os Deuses não dependem do nosso culto para existir, mas eles provavelmente fazem um bom uso da energia das nossas ofertas e devoções. E não é só para isso que eles nos chamam. Nós podemos ser intermediários entre deuses e homens, podemos ser portais ou pontes para o trabalho deles no mundo, podemos ser forças de paz e conforto para quem precisa etc.

Às vezes é difícil para as pessoas imaginar os Deuses como seres que amam tanto a gente a ponto de escolher alguns para quebrá-los ao meio (porque é isso o que acontece) em prol de algo maior. A presença deles é linda e aterrorizante ao mesmo tempo. É profunda e sobrepujante. É muito para um ser humano pequenino. Talvez por isso eles são vistos como deidades de criação e destruição. A presença deles nos fere para nos curar e, a partir daí, curarmos outros. Como Quíron, o "curador ferido".

Mas antes que eu fale de novo dessa reconstrução dionisíaca que volta e meia eu comento sobre ela, deixa eu retornar à questão das mudanças de quando uma deidade nos escolhe. Só para ilustrar algumas principais logo do início.

Para começar, isso muda seu estado mental: as ações mundanas passam a ser consideradas como de possível intervenção divina e não mais tão casuais assim. Você passa a prestar atenção, a ficar mais atento às "coincidências", você faz associações - explicando a si mesmo que você age de certa forma por que determinada deidade ensinou assim e você concorda com Ele/a a ponto de considerar aquilo. Com isso, seu caminho faz mais sentido, e quem você é também.

Depois, algumas respostas se tornam mais simples, você aceita que algumas coisas são assim porque há milênios já eram assim e nunca deixaram de fazer sentido. Algumas são culturais, mas outras são universais, naturais. (Um exemplo bobinho: a gente usa um anel em certa falange do dedo, ninguém usa o anel na ponta do dedo ou do nariz.) Há uma lógica interna em muita coisa que existe; ela nem sempre é aparente, mas ainda assim é aplicável. E os deuses entendem disso melhor do que nós. Muitas vezes Eles nos apontam um caminho com relação ao que sabem.

Então, isso tudo cria um laço poderoso entre Eles e nós. Aliás, é disso que se constitui a religião ("religar"). Ao aceitarmos que a vontade dEles e o próprio universo que habitamos tem uma lógica que um dia vamos entender (ou raramente não), recebemos sua aprovação, seus favores, e estabelecemos um relacionamento com consequências inesperadas pelo resto da vida.

O mais importante é fazer isso não por medo de represálias ou por imposição externa, mas por uma questão de sabermos ser gratos, sentirmo-nos amados, e sermos dedicados ao caminho espiritual que aceitamos.

Depois que você passa pelas marteladas no começo da lapidação da sua pedra bruta e sobrevive, aí você vira um diamante e vem uma parte que compensa: brilhar, servir de presente e receber um polimento de vez em quando... Ainda tem quem te jogue no chão e te morda para ver se você é de verdade, mas - cá entre nós - isso não é gostoso?

11 comentários:

Filhote de Lua disse...

"Às vezes é difícil para as pessoas imaginar os Deuses como seres que amam tanto a gente a ponto de escolher alguns para quebrá-los ao meio (porque é isso o que acontece) em prol de algo maior."


oh deuses, isso me soa tão familiar... hahahahahahahaha

Espartana disse...

hihihi ^^ por que será? kakaka

Lili Martins disse...

[i]Sinceramente, parece que vc escreveu isso para mim, como um tipo de resposta, sabe? E ao que eu li: [b]"A presença deles nos fere para nos curar e, a partir daí, curarmos outros. Como Quíron, o "curador ferido"".[/b] A sensação que eu tive foi: "ela realmente está falando comigo". rsrs
Estou naquela fase em que fico repetindo: "Mas, eu não entendo, eu não entendo" e no fim acabo tentando me convencer de que o acaso para nós é pura lógica para os deuses. Aquilo que agora eu não compreendo, logo virá a luz, ao menos assim eu espero. Mas, nossa! Vou até anotar esse seu texto em meu diário mágico.

Beijos

Pietra disse...

Para a Lili Martins:
Começa com a sensação de que eles estão falando conosco... depois, vemos no que se torna...

Aléx, depois eu leio com calma e comento decentemente. Mas preciso dizer que já me pegou.

Espartana disse...

Meninas, muito obrigada!

Vejam como os Deuses fazem umas falarem o que as outras precisavam ouvir e vice-versa, porque as respostas acabam confirmando (e dando alívio a) as inquietações de quem lança o que Eles nos cutucam a escrever.

Lili, valeu pela citação... ;*

Pi, vou esperar. =D

Pietra disse...

Bom, falei que iria voltar. E voltei.

Definitivamente, quando somos reclamados, e acho que isso acontece quando começamos a nos deixar reclamáveis, a nossa vida ganha mais responsabilidades. Ai, não adianta querer colocar o deus em um crachá e deixar por isso mesmo.

As deidades são Natureza, Criação e como Eles têm um pedacinho de Caos inicial dentro deles, nós temos um tanto deles dentro da gente... e quando eles se aproximam é como se a chama que é deles, se tornasse uma fogueira.

É uma vida de trabalho... precisa ter disciplina... precisa ter paciência... mas quando fazemos direito... ai, que delícia!!

Lórien disse...

Me lembro sempre de como, agora já há alguns anos atrás, quando eu começava, me espantava o fato de que algo sempre mudava quando eu achava que estava tudo bem, em seu lugar, e tudo finalmente tinha se ajeitado. Meu marido, então meu namorado, ria de minha inocência. Até que eu me convenci de que a minha vida não seria mais controlável at all, e que o melhor a fazer era se acostumar.

Recomendo o seu texto para qualquer um pensando em começar nesse caminho!

Ametista Eleuthera Kunoloverna disse...

gostei muito do texto e do blog

Jota Olliveira disse...

Álex... agora lendo seus textos do "O que é?" do site do RHB... entendo melhor alguns processos que já fazem parte da minha vida desde dois anos atrás quando a "brincadeira" começou.

Eu acho magnífico ver que a vida de uma maneira em geral me moldou pra que Zeus um dia viesse e regesse minha vida.

Poxa... sabe, foram tantas coisas que hoje reconheço como uma preparação pra coisa que aconteceram, vem acontecendo e vão acontecer que a gratidão aos deuses é imensa e ao contrário da Hibris, percebemos que de fato "Nós podemos ser intermediários entre deuses e homens, podemos ser portais ou pontes para o trabalho deles no mundo, podemos ser forças de paz e conforto para quem precisa etc." Em alguns momentos da minha vida de fato me senti em algo similar a um transe, um momento que me tira da minha rotina, e me põe a serviço duma necessidade alheia.

Isso é fantástico, nos sentimos tocados pelos deuses, talvez como Odisseu deve ter se sentido tocado por Athena. Enfim... quem sou eu perto dele rss... mas é mais ou menos por aí.

Te amo amiga. Brigado por fazer parte dessa nova parte da minha vida ;) Bjao

FABIANO ZENON FERNANDES disse...

Nao sei se seria a postagem no local exato ,mas pus um depo hj no face no grupo r.h.b quem tem haver um pouco com vc e gostaria de compartilhar.
-Bem,perante ha todos que estam aqui ,eu sou um bebe dentro do helenismo e nem começei a engatinhar ,mas, hj aproveitei o dia para ler sobre e resolvi começar das experiencias alheias em primeiro,fora algumas publicações q ja andei pesquisando..bem,hj me dediquei a ler o blog Sofa da alex ,olha foi muito revelador e muito do que vi é cm os deuses estao ha todo momento nos dando sinais de sua presença e nós por um motivo ou outro,os ignoramos ate que tomamos uma boa cacetada e caimos na real..Isso me lembrou que ha uns dois anos atras eu era dono de uma acdemia ,pois sou Professor de Educação Fisica,bem,em certo momento caiu uma bendita barra de ferro em minha cabeça ,sangrou horrores pontos e etc ..Bem,depois cm uso cabelo raspado ..ficou uma linda cicatriz de uma lua minguante ,academia vendida e tal ...Sempre dei minhas andadas pelo caminho da magia e depois me lembrei de Hecate e fiquei cheio de receios por que nossa sociedade crista a coloca como a bruxa ma,sempre ela me vinha a acabeça e eu sempre temeroso a ela ,resolvi pesquisar sobra a mesma algumas ideias erroneas se foram ,mas, o temor continuou..passado algum tempo tive um sonho com hermes e foi entao que descobri o r.h.b,novamente ignorei ,mas, ai isso foi mais ou menos final do ano passado ,entao ha coisa desandou de vez ,fazia parte de um grupo de magia a qual começei a ter total descrençae me desliguei completamente ,perdi emprego ,estabilidade financeira ,amigos de longas datas se foram e novamente Hecate ..entra em minha cabeça ha todos os momentos e eu novamente com medo,ate q resolvi (que minha irma que nada sabia sobre o que estava acontecento junto oas deuses helenicos comigo )pedi que abriise um oraculo para mim e a primeira coisa q ela me disse foi a lua é sua protetora,nunca esqueça disso ,os caminhos sao seus e as escolhas sao suas ,vezes e melhor beber em um bar do que se encontrar no meio de falsos religiosos ....Novamente Hecate em mente e hermes ...bem ,nesta mesma semana ..fui malhar na mesma academia em que era dono e sabe o q me acontece ...a mesma barra rsrrs..novamente cai em minha cabeça e agora ga nhei a cicatriz de uma lua crescente ,logo abaixo da lua minguante ....depois ,disso resolvi logo apos a data de 13 de agosto q era dia de Hecate e eu nao sabia lhe acender uma oferenda em uma noite de lua negra ,nd demais uma vela preta e um incenso no meu jardim a qual fiz um circulo de pedras ...lhe informando que sim eu a entendia e sabia de suas faces e sabia q era queria se mostrar p mim e agradecia de coração toda a sua proteção.... que sabia que ela era A senhora dos caminhos a que oferece as oportunidades e ilumina nossa estrada ....Bem em menos de 48 horas depois de 8 meses passando por um fase braba ..apareceu me tres empregos muito bons dentro de minha area e fora dela ...estou empregado feliz e crescendo isso em menos de duas semanas ...o que posso dizer ...Simplesmente que devemos prestar mais atenções nas coisas que estao ao nosso redor ,não sao simples coincidencias ..e digo hj lendo o blog referido anteriormente descobri que muitas vezes Hecate se apresenta Junto de Hermes cm patronos ..entao coincidencias ? Claro que nao ..obrigado gente ..tenho aprendido muito com vcs por aqui !!!!

..Entao com certeza nao chamarei de pai ,mas, do jeito que acredito e tenho aprendido com Hermes e bem capaz de aparecer disfarçado de mendigo pedendo um cigarro na porta de um bar !!!

Fábio Alves disse...

Muito bacana o seu texto.

Podemos ser reclamados de diversas maneiras diferentes, e fiquei intrigado com o depoimento de Fabiano (mais acima).

Sou helênico muito iniciante ainda, mas desde que me entendo por gente a minha vida tem sido regida pelos gostos, inclinações e até ideias da antiguidade grega. Até a adolescência, me sentia dividido entre Atena e Afrodite, mas a partir dessa época conheci Apolo e nunca mais encontrei identificação maior do que com ele.

E, a cada ano, meu amor por ele apenas cresce, e a forma com que guio a minha vida está sempre imbuída da sua luz.

Curiosamente, hoje é o aniversário de Apolo (ontem o da sua irmã gêmea, Ártemis), e foi justamente de ontem para hoje que eu decidi me identificar como um helênico devoto de Apolo -- e eu nem sabia que hoje era o seu aniversário.

Realmente, são coincidências que nós não podemos deixar passar despercebidas. Graças aos deuses não precisei levar duas barras de ferro na cabeça pra perceber isso (como o Fabiano acima, hahaha), mas talvez porque eu sempre tenho trilhado o caminho dos deuses, mesmo sem saber o que era o Helenismo (só o conheci há poucos meses) e que o culto aos deuses antigos poderia ser possível ainda hoje.

Fiquem com Zeus.

Postar um comentário

Subscribe